O presidente Jair Bolsonaro pode ser denunciado em breve pela Procuradoria Geral da República (PGR) por corrupção passiva, obstrução de Justiça e interferência na autonomia da Polícia Federal. Se isso acontecer e a Câmara aprovar o prosseguimento das investigações, Bolsonaro será afastado do cargo automaticamente por 180 dias.

O ministro Celso de Mello, do STF, responsável pela relatoria das investigações decide ainda sobre o conteúdo de um vídeo sobre reunião ministerial em que Bolsonaro teria ameaçado Moro de demissão caso não trocasse o diretor-geral da PF.

O conteúdo pode abalar ainda mais a crise política e institucional no país. Ministros teriam feito severas críticas ao Judiciário e ao Legislativo, além de ataques despropositados à China, o maior parceiro econômico do Brasil.

Bolsas de valores