O governador de São Paulo, João Dória Jr., prometeu punir parlamentares ou não que tentarem invadir hospitais e centros de tratamento de Covid-19. Dória fez essa declaração após um grupo de parlamentares terem tentado invadir o Hospital de Campanha do Anhembi, no último dia 4 de junho. O governador parece ter feito vistas grossas e não vai punir os invasores desta vez. Mas, só se houver novas tentativas. "Faremos a criminalização desses invasores, parlamentares ou não", afirmou.

A ação criminosa, de acordo com o artigo 268 do Código Penal, foi cometida pelos deputados Leticia Aguiar (PSL), Coronel Telhada (PP), Adriana Borgo (Pros), Marcio Nakashima (PDT) e Sargento Neri (Avante).

Outros capitais

Não só em São Paulo ocorreram invasões a hospitais. Mas também, no Rio de Janeiro, RJ, Vitória, ES e na Região Metropolitana de Salvador, BA.

Tudo começou quando o presidente Jair Bolsonaro, em uma de suas “lives”, realizada na quinta-feira passada (11), incitou seus seguidores e apoiadores a “dar um jeito” de entrarem nos hospitais verificar a existência de leitos disponíveis para tratamento do novo coronavírus. No dia seguinte, um grupo de seis pessoas invadiu e depredou o Hospital Ronaldo Gazolla, referência no tratamento da Covid-19, no Rio de Janeiro.

No mesmo dia, cinco deputados do Espírito Santo invadiram o Hospital Dório Silva. Um deles, chegou a divulgar a ação em suas redes sociais.

Na Bahia, o deputado estadual Capitão Alden (PSL), policial militar, invadiu o Hospital de Campanha Riverside, na Região Metropolitana de Salvador, BA, na quarta-ferira (17). Um dos seguranças que acompanhava o deputado entrou no quarto de uma paciente de Covid-19 no exato instante em que tomava banho em seu leito.

 

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Bolsas de valores