Com a recusa do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arquitetônico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephat) em abrir processo para o tombamento do conjunto esportivo Constâncio Vaz Guimarães, ficou praticamente liberada a demolição de toda a estrutura do complexo.

A privatização do complexo esportivo é um grande desejo da gestão tucana. Desde 2017, o então governador Geraldo Alckmin (PSDB), vem tentando de todas as formas entregar o berço de atletas paulistano à iniciativa privada. Agora, a gestão do governador João Dória (PSDB) tenta mais uma vez. Há poucos dias, publicou nas redes sociais um vídeo mostrando o que seria, na visão dos tucanos, o “Ibirapuera Complex” (o nome em inglês é sintomático). Segundo o vídeo, o projeto teria “a maior e a mais completa arena da América Latina” e no lugar do histórico ginásio, o governador projeta um shopping center e um hotel.

Em sua defesa, Dória alega que a cidade “é carente de arenas cobertas”, com a capacidade de público entre 8 mil a 20 mil pessoas.

Alternativas

Essa “carência” de arenas já tinha sido identificada em 2015, quando a gestão do então prefeito Fernando Haddad (PT), por meio da SPTuris, abriu consulta pública com objetivo de colher manifestações sobre o edital para construção de uma nova arena indoor multiuso no terreno de 21mil m² ao lado do Sambódromo, aqui na Zona Norte. A nova arena teria capacidade para 20 mil pessoas. Em 2017, meses depois de assumir a prefeitura, que a abandonaria em 2018, Dória acabou engavetando o projeto que já estava em fase de lançamento de edital.

O complexo

O Ginásio do Ibirapuera, inaugurado em 1957, já foi palco de diversas modalidades esportivas individuais e coletivas. Abrigou três mundiais de basquete. Deu lugar ao primeiro título mundial brasileiro de Futsal, em 1982, sediou o Mundial de Vôlei de 1994, o Mundial de Handbol, em 2011 e também foi palco de diversas etapas do Copa do Mundo de Ginástica.

Na pista de Atletismo, que será destruída conforme quer o governador, competiram Joaquim Cruz, Carl Lewis, Maureen Maggi, Serguei Bubka, Robson Caetano, Edwin Moses, Evelyn Ashford, Willie Banks, Steve Ovett e até Bem Jonhson.

O complexo abriga, ainda, o alojamento dos atletas do Projeto Futuro, que já revelou alguns dos principais atletas do judô e atletismo do Brasil. 

O Estádio Ícaro de Castro Melo já foi sede de partidas oficiais de futebol. No ano de 1996, chegou a receber várias partidas do Campeonato Brasileiro e da Supercopa Libertadores, tendo as equipes do Corinthians e Santos como mandantes. O Estádio já teve eventos notáveis, como os shows do Elton John e do Bom Jovi, ambos acorreram no ano de 1995

Atletas revoltados

Os atletas do vôlei nacional Mauricio, Willian e Fabiana foram às redes sociais protestar contra a demolição do complexo e a concessão à iniciativa privada. “E um dia eu sonhei em jogar no ginásio do Ibirapuera... E eu realizei. Quantos sonhos iguais ao meu serão encerrados? “, escreveu Willian.

O Ministério Público Estadual sinalizou ser contra a empreitada de João Dória e acionou o governador pedindo explicações sobre a notícia da demolição do complexo. O MP também estuda aplicar restrições para impedir grandes empreendimentos na região do histórico complexo.

É verdade que o “Ibirapuera”, como é conhecido, tem equipamentos defasados, com inúmeros problemas, e é carente de cuidados e algumas reformas, mas também é verdade que tudo isso é culpa da política de desgoverno, que há anos assola o Estado, sempre com a intenção de sucatear para privatizar. Quer dizer, deixar estragar para vender barato a empresários.

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Bolsas de valores