Por um motivo que desconhecia, não escrevi, como de costume, o texto trazendo informações da chegada do Sol em Escorpião, em 22 de outubro. Algo me ‘segurou’, sem causa aparente. A consciência então foi chegando...

Quando o Sol chega neste signo é o momento de lidarmos com nossas sombras para que possamos acolhê-las e transmutá-las. É um período de introspecção, de reflexão, de mergulho interno nos sentimentos mais profundos do nosso ser.

É neste período que celebramos o Dia das Bruxas, em 31 de outubro, o Dia da ‘Divindade’ (todos os santos), em 1 de novembro e o Dia dos Mortos, em 2 de novembro. É o período de portais abertos entre os mundos – mundo dos mortos, mundo terreno e mundo espiritual.

Os relatos de pessoas conhecidas vivenciando esse recolhimento tornam-se natural e frequente.

É um tempo rico voltado para cura através da morte e renascimento.

Vamos olhar um pouco, então, para este signo e suas energias intensas.

Escorpião é um signo fixo, do elemento água, regido por Marte e Plutão.

Plutão, Hades é o senhor das profundezas, associado à morte e ao renascimento. Nos dá a energia necessária para conhecer a força e poder individuais, a partir da transmutação.

Marte, o guerreiro, nos proporciona a precisão cirúrgica nos cortes tão necessários e movimenta de maneira direta nosso olhar para as profundezas da consciência.

Escorpião e seus regentes tratam dos mistérios, do oculto, de tudo o que deve ser cortado, curado, regenerado, transformado. Um pouco investigador, um pouco cirúrgico, muito bruxo, o grande curador, pois vai às profundezes e renasce. A energia escorpiana tem ajudado o ser humano a compreender essas profundezas dos sentimentos e regenerar-se de forma curativa.  É fundamental acolher as sombras para liberarmos a luz e encontrarmos a cura.

Renascemos porque Escorpião nos propicia adentrar nossa consciência onde sequer imaginávamos, e o que estava oculto, trancado, escondido, salta aos olhos e vem à tona de forma reveladora e curativa.

Morte, regeneração, ressurgimento, renascimento, transmutação... tudo isso traz sabedoria sem igual. Escorpião lida com a vida e morte de forma real, prática, como parte integrante da natureza.

Muito sensível, intuitivo e espiritual, através de sua alma lida com a dor, olhando-a de frente, levando luz à sombra. Mergulha em si e ressurge ainda mais forte.

Nada fica na superfície, tudo ganha profundidade quando esta energia está no comando. Por isso se regenera com mais facilidade e consegue se purificar do que estava até então submerso na sombra temerosa.

Energia do chacra básico, em Escorpião a sexualidade é aflorada, vê na continuidade da vida a essência de tudo - Morte... Renascimento.

Talvez por tudo isso seja desapegado, pois se não acrescenta, fica para traz. E isto facilita lidar com o novo, com a criação, a reinvenção.

Seu verbo é “EU TRANSMUTO”.

Fazendo companhia para o Sol em Escorpião estão Mercúrio e Marte intensificando ainda mais essa experiência.

Mercúrio representa aquele que é o único a ter passagem liberada entre os mundos – ele é Hermes, o mensageiro dos deuses. Por isso esse mental aguçado, intuitivo, silencioso até, buscando nas profundezas as respostas e a consciência para compreensão e aceitação.

Marte, regente de Escorpião, está em casa, auxiliando a expansão da consciência a fazer o que é preciso, com ou sem dor, com ou sem medo, mas com fé, com intuição, com sabedoria e força.

Na semana passada, dia 5, nos deparamos com a trágica notícia de um acidente fatal envolvendo 5 pessoas num avião que por pouco não conseguiu chegar ao seu destino. Luto em tempos de Sol, Mercúrio e Marte em Escorpião.

Muito foi dito sobre a brevidade da vida, sobre a dor na passagem de uma pessoa tão jovem e tão talentosa, mulher, mãe, profissional.

Escorpião nos ensina que devemos sempre falar sobre a vida, sobre o amor, sobre o espiritual, sobre o estado de presença e sobre a morte.

E por que não falamos? Por que a tendência de nos sentirmos imortais e a sempre inútil tentativa de sempre despistar a ‘sombra da morte’?

Celebrar a vida. Transbordar de amor. Acolher e iluminar as sombras. Acolher e amparar a morte.

Como foi o seu ‘dia dos mortos’? Você chorou em desespero ou celebrou a vida daquelas pessoas que você amou e fez a passagem? Você honrou e honra sua ancestralidade ou prefere esquecer para não sofrer?

“Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sempre. Tal é a lei” – Allan Kardec.

Como você lida com a morte e renascimento?

O que hoje precisa morrer em você para renascer mais forte e iluminado?

O que hoje você escolhe desapegar para seguir adiante de mãos livres e mente aberta para aceitar a verdade e seguir em frente?

Assim, em silêncio, essas energias me tomam e me remetem a uma viagem ao centro de mim mesma, à minha essência, à ferida que precisa ser curada, à constante e diária necessidade de morrer e renascer, e à linda e transformadora arte de me refazer todos os dias.

Contemplando nosso mapa natal, a casa onde está Escorpião recebe esta visita do Sol, de Mercúrio e Marte, é onde essas energias serão movimentadas.

Ainda não tem seu Mapa Astral Natal? Vem pro autoconhecimento! Vem fazer seu mapa!

Assim eu sirvo à vida.

Eu Vejo Vocêॐ

Só Por Hoje, Namastêॐ

Espaço OMॐ Silmara Campos Cintra.

Autoria
Silmara Cintra é Terapeuta Holística credenciada, Mestra em Reiki, Consteladora Familiar, Astróloga, Oraculista, Sagrado Feminino.
Artigos publicados

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd