Neste 22 de julho, o Sol vem iluminar o palco leonino. “A ti, Leão, atribuo a tarefa de mostrar ao mundo o esplendor de minha criação. Tu iluminarás os corações humanos com minha luz, acendendo em cada um o entusiasmo de assumir a própria existência. Mas peço-te que não confundas as coisas e lembra-te que é minha a ideia, e não tua. Para que faças um bom trabalho, dou-te a provação da vaidade para dominares e, como bênção, concedo-te o dom da honra.” E Leão voltou ao seu lugar.    -    (Martin Schulman, livro “Karmic Astrology: the Moon’s Nodes and Reincarnation”, em 1977.)

Regido pelo Sol, Leão é signo fixo do elemento fogo. E assim como o Sol, Leão está no centro para aquecer e iluminar todas as pessoas à sua volta. Sua presença é divertida, forte, determinada, independente, segura, consciente e romântica.

Expandindo em luz e poder, tem um olhar para si que o estimula ao autoconhecimento. A expansão da consciência faz parte do seu ser, e, quando assume essa tarefa, transpõe o caminho, evolui de forma intensa e compreende sua essência e tarefa nesta vida.

Afetividade extrema, criatividade, otimismo e alegria fazem parte da sua personalidade, e assim transmitem generosamente sua luz. De maneira natural, são o centro das atenções, mas, por serem muito teatrais, vão do brilho ao drama com facilidade, podendo ser bastante exagerados.

Despendem muita energia para agradar aos que ama, buscam o tempo todo por atenção e reconhecimento. Problemas financeiros vêm exatamente daí, agradar ao outro e a si sem limites ou senso prático.

Mas a opinião do outro não é importante, e isto pode trazer teimosia e rigidez, por não ‘ouvirem’. É preciso argumentos fortes e fundamentados para que a energia leonina admita a possibilidade de mudar de ideia, ou que estava, em um breve momento, errada a respeito de algo.

E exatamente por tanta luz e brilho, há grande probabilidade de precisar lidar com o ego, a vaidade, e o ‘ser inflado’. Estar sempre no centro das atenções pode tornar a energia leonina arrogante e até cruel.

O rei da floresta pode reinar de forma amorosa com humildade, compaixão e equilíbrio, ou de forma tirana e autoritária.

Já imaginou o Leão em seu reino sendo confrontado, atacado? Ou você sabe exatamente o que está fazendo... ou vai se dar muito mal. E caso você consiga esta proeza, o rei ferido jamais esquece quem o atacou. Você pode, humildemente, buscar o perdão através da devida reverência e submissão ao rei. O perdão leonino vem com essa linda luz, generosidade e brilho.

No amor, se o par não for admirável não funciona. Mas essa admiração jamais supera o olhar para si.

E para quem tem um par leonino, saiba que sua tarefa é olhar com constante admiração, apreço e aplauso. Isso garante um relacionamento duradouro, quente, intenso, leal.

O grande aprendizado para Leão é trabalhar o ego, o drama e a teimosia.

Quanto à saúde, a energia leonina geralmente é rica e plena, mas caso adoeça, se recupera com facilidade. Leão rege o coração e a medula espinhal. É bom ter atenção a problemas cardíacos, pressão arterial e até mesmo algumas doenças do próprio sangue, como anemia.

Seu verbo é “EU CRIO”.

Seu signo oposto, Aquário, pode ajudar a trabalhar o desapego, o olhar para o coletivo, para a comunidade, ensina o altruísmo, a solidariedade, a humildade.

Contemplando nosso mapa natal, podemos perceber que todos temos a influência de Leão. No mapa, a casa onde está Leão, deve ser observada com esse olhar de vaidade, luz, brilho, força e poder.

LILITH, o ponto de liberdade, que chegou em 18 de julho para sua visita ao signo de Gêmeos, fica por ali até abril de 2022.

Se você tem Lilith em Gêmeos no seu Mapa Astral Natal, você começa a viver, então, seu “Retorno de Lilith” ou a “Revolução de Lilith”.

Ela permanece aproximadamente 9 meses em cada signo e percorre toda a mandala astrológica num período de 9 anos.

Assim, como os Nodos Lunares, Lilith não é um astro, é um ponto fictício e não celeste. Seu princípio está baseado nas analogias entre certos fenômenos celestes e terrestres. Eu, desde o início dos meus estudos, em 1997, incluo a interpretação de Lilith no mapa astral natal de forma intensa e com relevante importância.

Muitas culturas a denominam ‘demônio’, outros a chamam de ‘lua negra’. Ela chega a mim como a ‘essência do feminino selvagem’, a essência do feminino que não aceita imposições.

Sutil e, ao mesmo tempo, profunda, sua interpretação exige habilidade e delicadeza. Em Lilith, abordamos as zonas mais sombrias que temos e que não há como deixar de olhar. A partir daí, compreendemos que ela transmite uma verdade que choca, perturba e transtorna as consciências adormecidas.

Lilith nos faz questionar a nós mesmas. Seu trânsito, a cada 9 anos, anuncia sempre acontecimentos e tempos desafiadores de nossas vidas, que chegam para libertar. Provoca crises, situações excessivas, mexe fortemente com nossas emoções, nosso psicológico, nossa verdade profunda, revela as etapas últimas e inevitáveis, as passagens obrigatórias, sem as quais a evolução não seria possível – ela nos liberta e nos libera.

É um vazio que precisamos preencher com urgência. É um grito de liberdade. Onde está no mapa, é uma zona profunda do ser que tende a absorvê-la inteiramente, concentrá-la e atraí-la completamente para si mesma.

Em Gêmeos, Lilith mexe com as ideias, a criatividade, a curiosidade e a troca. De forma livre e leve, a energia geminiana recebe essa força para nos libertar de crenças que limitam, preconceitos e pré-julgamentos. É o momento de renovar ideias, ousar, romper e ‘chocar’.

Contemplando nosso mapa natal, podemos perceber que todos temos a influência de Lilith. No mapa, a casa onde está o signo de Gêmeos receberá essa visita com toda energia de liberdade necessária e transformadora.

Eu Vejo Você

Só Por Hoje, Namastê

Espaço OMॐ Silmara Campos Cintra.

Autor
Silmara Cintra é Terapeuta Holística credenciada, Mestra em Reiki, Consteladora Familiar, Astróloga, Oraculista, Sagrado Feminino.
Artigos publicados

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd