A Globo exibiu na noite desta sexta-feira, 20, Dia da Consciência Negra, o especial “Falas Negras, criação de Manuela Dias, e direção de Lázaro Ramos.

O CCN Notícias foi conferir e constatou a grande repercussão do programa nas redes sociais e na mídia. A apresentação foi ao ar, justamente no dia seguinte em que João Alberto Silveira Freitas, um homem negro, de 49 anos, foi brutalmente espancado até a morte, no estacionamento do Supermercado Carrefour, em Porto Alegre, RS.

“Falas Negras” é chocante, forte e provocador no conteúdo e inovador na estética. Lázaro Ramos reuniu 22 monólogos/depoimentos

interpretados por atores, de personalidades da história brasileira e mundial, que fizeram de suas vidas testemunhos de luta contra o racismo.

A opção estética levou o espectador a um clima intimista, olho no olho, para atingir o coração e a mente de cada um. A sensação era estar assistindo a um peça de teatro. Em cenários absolutamente limpos com, no máximo, uma cadeira, e com uma iluminação que remetia a lugares sombrios e inquietantes, as personalidades, interpretadas por atores e atrizes negros, iam, uma a uma, contando passagens importantes de suas vidas (alguns depoimentos já conhecidos) em que demonstravam de forma clara e explícita como, quando e de que forma foram vítimas do racismo.

Os depoimentos fizeram um panorama histórico dessa luta, a começar pela Rainha Nzinga Mbandi, em 1626 (interpretada pela atriz Heloísa Jorge), passando por Nelson Mandela (Bukassa Kabengele), Matin Luther King Jr. (Guilherme Silva), Milton Santos (Ailton Graça) e Marielle Franco (Taís Araújo), até os dias de hoje.

Os dois pontos altos do programa foram os emocionantes “depoimentos” de Mirtes Souza, (Tatiana Tibúrcio), mãe do menino Miguel Otávio, que morreu ao cair de um prédio de alto padrão, em Recife, PE, quando estava sob cuidados de sua empregadora;  e do pai de João Pedro, senhor Neilton Mattos Pinto, (Silvio Guindane), assassinado no Rio de Janeiro, RJ, pela polícia carioca no meio do ano.

O especial “Fala Negras” também contou com Muhammad Ali (Babu Santana), Malcon-X(Samuel Melo), Luiz Gama (Flavio Bauraqui), Lélia Gonzalez (Mariana Nunes), Angela Davis (Naruna Costa), Luiza Bairros (Valdineia Soriano) entre outros.

O CCN Notícias parabeniza Manuela Dias e Lázaro Ramos pela iniciativa e pela coragem de abordar um tema tão necessário em horário nobre na Rede Globo. Esperamos todos que a emissora, cujo diretor geral de jornalismo, Ali Kamel, publicou um livro negando haver racismo no Brasil, possa ter refletido e repensado seus conceitos. Queremos mais.

Emocionado com a recepção do trabalho nas redes sociais, Lázaro Ramos agradeceu o público: “Me emocionam os textos e o trabalho consistente dessas atrizes e atores. Me sinto abençoado hoje… Gente, eu nem sei o que dizer a vocês além de obrigado. Sou muito honrado por ter dirigido o Falas Negras. Sigamos firme. Obrigado! História”, respondeu Lázaro.

Ah! E pra fechar, Lázaro Ramos usou de suas redes sociais também para avisar que ele e Taís Araújo, sua mulher, contraíram Covid-19. Passam bem.

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Bolsas de valores