O Conselho Nacional dos Secretários de Saúde informou, nesta quarta-feira, 26, que a taxa de contágio (Rt) da Covid-19 ultrapassou o teto em todo o Brasil. Isso indica, segundo estudos da Info Tracker, pesquisa da Unesp e USP que monitora a pandemia, que vem aí uma terceira e mais forte onda da pandemia. E a gente sabe de quem é a responsabilidade.

Segundo os estudos, o teto da taxa de contágio é o índice 1, quando cada pessoa pode contaminar uma outra. Se for maior do que 1, cada doente poderá contaminar mais de uma pessoa. A taxa verificada pelo Info Tracker apontou 1,12 em todas as regiões do país. Quer dizer, que a cada grupo de 100 doentes, 112 pessoas podem ser infectadas, numa progressão exponencial.

Para conter essa transmissão e o risco da terceira onda de infecção, a taxa de Rt, precisaria estar abaixo de 1. As causas desse aumento da Rt é, sem dúvida, o ritmo lentíssimo da vacinação e da flexibilização do isolamento social, afirmam especialistas e médicos infectologistas. Se essa situação se mantiver, haverá novos casos e aumento dos mortos, em 20 ou 30 dias. Mas, ao contrário, não há nenhuma campanha por parte do governo federal, pelo uso de máscaras e álcool gel e medidas de restrição de circulação. Nos depoimentos colhidos pela CPI da Covid-19, até o fechamento desta matéria, o presidente da Comissão, Omar Aziz (PSD-AM), disse ser possível entender que o próprio presidente Jair Bolsonaro contribuiu para esse número crescente e assustador de mortes no país. “Bolsonaro é um entusiasta enfático do uso da cloroquina e de outras medicações sem eficácia contra a Covid-19”, diz.

O país já ultrapassou a marca de 450 mil mortes por Covid-19 na pandemia e chegamos ao limite. O impeachment de Bolsonaro se faz urgente diante da destruição que promove. E, além de tudo, vai às ruas provocar aglomerações, em afronta ao Estado de Direito. O pior é que grande parte dos parlamentares e do empresariado do país estão ao seu lado nessa política genocida e dilapidadora da dignidade, de vidas humanas, do patrimônio e das riquezas da Nação.

O povo, como pode, tenta reerguer-se diante do caos. Neste sábado, 29, organizações do movimento social realizam manifestações presenciais, com a observância de todos os protocolos de proteção individual, em 75 cidades de todas as regiões do país. Uma campanha pelo impeachment, por vacinas e pelo pagamento de auxílio emergencial de 600 reais. Em São Paulo, a concentração será às 16 horas, no Vão Livre do Masp, na Avenida Paulista.


 

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Mais lidas

Bolsas de valores