Ao longo do difícil ano de 2020, quando sofremos muito com a pandemia da Covid-19, que promoveu a maior tragédia humana que nosso país já enfrentou, como médico infectologista, procurei levar às pessoas esclarecimentos e informações sobre esse novo vírus, que causou e ainda causa muitas dúvidas em médicos e cientistas do mundo todo. Como deputado federal, participei ativamente na Câmara dos Deputados das lutas para apresentação e aprovação de importantes medidas para aliviar o sofrimento da população brasileira.

Diante do governo omisso e negacionista de Jair Bolsonaro, nós, parlamentares de oposição, tomamos a frente na condução da crise sanitária. Logo que casos e óbitos começaram a crescer absurdamente no mundo, foi criada na Câmara dos Deputados, em fevereiro deste ano, a comissão externa que acompanha o enfrentamento da Covid-19, da qual sou membro atuante, onde nos reunimos 97 vezes ao longo desses 10 meses.

Nas reuniões, fizemos debates sobre o planejamento de ações, aprovação de propostas que foram ao plenário da Câmara, convocação de audiências públicas com autoridades do governo, especialistas e entidades para esclarecimentos sobre diversas questões, visitas técnicas em instituições públicas e eventos regionais. Nosso maior compromisso nesta comissão é a defesa da vida da população brasileira.

Desde fevereiro, apresentei mais de 100 medidas de combate à Covid-19 na Câmara dos Deputados - entre projetos de lei, projetos de decreto legislativo, requerimento de informações à órgãos do governo, entre outros - respaldadas por demandas levadas à comissão, mas também por pedidos de pessoas, entidades, estados, municípios de todo país.

Neste ano, descobrimos novas formas de organização para enfrentar as batalhas e de como nos solidarizar com a dor do próximo. Perdemos parentes, amigos, conhecidos e muitas pessoas ficaram com sequelas da doença.

Acredito que 2021 também será um ano difícil e, por isso, nós deputados de oposição, vamos continuar garantindo que o governo Bolsonaro não retire 22% do orçamento da saúde que está previsto para 2021, vamos lutar por vacinas para todos - como com a emenda de minha autoria aprovada esta semana no Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias que coloca, como meta para 2021, a vacinação para todos os brasileiros – o não desmonte de mais políticas públicas, a defesa da vida e o fortalecimento do SUS. Que em 2021, possamos aliviar as aflições que passamos neste cruel 2020. É o que quero como médico e deputado federal.

*Alexandre Padilha é médico, professor universitário e deputado federal (PT-SP). Foi Ministro da Coordenação Política de Lula e da Saúde de Dilma e Secretário de Saúde na gestão Fernando Haddad na cidade de SP.

 

671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Bolsas de valores