Aos fãs incondicionais, uma oportunidade de relembrar. Aos que ainda não os conhecem, a chance de entrar em contato com o mundo fantástico de uma das maiores bandas da MPB dos anos 90. A irreverência e a trajetória dos garotos de Guarulhos, os “Mamonas Assassinas”. Sua história será contada, nesta terça-feira, dia 2, às 21h30, no canal BIS (Net 120 e 620, no HD).

O documentário “Mamonas Para Sempre”, de Cláudio Kahns, contará a história do grupo, desde o início, quando ainda se chamavam “Utopia”, e quase ninguém conhecia, até o fabuloso e disputadíssimo pelos programas de auditório da época, os “Mamonas Assassinas”.

O grupo, que teve apenas 8 meses de estrada, realizou mais de 190 shows, em 25 capitais. Quando faziam, o que seria a última turnê, mais precisamente no dia 2 de março de 1996, embarcaram em um jatinho da Learjet, no Aeroporto Juscelino Kubitschek, em Brasília, por volta das 22 horas, rumo ao aeroporto de Cumbica, em São Paulo. Uma hora e 15 minutos depois, quando o piloto preparava-se para pousar, o Learjet perdeu altura e chocou-se contra a Serra da Cantareira. Os cinco integrantes da banda; Alecsandro Alves, o Dinho; Júlio Resek, Bento Hiroto, Samuel Reoli e seu irmão Sérgio Reoli, além do piloto Jorge Martins, o copiloto Alberto Takeda, o segurança, Sérgio Saturnino Porto, e o roadie Isaac Souto morreram na hora.

Os “Mamonas Assassinas” gravaram apenas um CD que vendeu mais de três milhões de cópias. O documentário trará imagens raras cedidas pelos fãs, amigos e familiares, e feitas pelos próprios integrantes, durante shows e viagens, além de depoimentos.

O CCN Notícias recomenda o documentário. Até quem não conheceu ou não curtia as músicas acabará se rendendo à ousadia e à irreverência da banda.

Bolsas de valores