Matéria publicada originalmente, hoje (26/1), no site G1, traz denúncias de moradores do bairro Pedra Branca, Zona Norte, que não aguentam mais as insistentes festas e pancadões que estão ocorrendo em uma mansão localizada na Rua Pedra Bonita. Segundo a reportagem, a mansão tem cerca de 900 metros quadrados, piscina, bar molhado, sauna, hidromassagem, suítes enormes e garagem com capacidade para 17 carros.

De acordo com os moradores, essas festas costumam durar mais de 24 horas e, invariavelmente, são seguidas por brigas e atos de vandalismo pela vizinhança.

No último domingo (23), aconteceu de novo. Após a festa, brigas, chutes nos portões, nos carros estacionados ou naqueles que passavam no local. "É muita gente bêbada, sem controle. Nessas festas chegam a ter mais de 500 pessoas. Estamos aterrorizados", diz uma moradora da região que preferiu não se identificar à reportagem do G1. Isso tudo, em plena pandemia da Covid-19.

Não é a primeira vez que a vizinhança da tal mansão reclama e aciona a Polícia Militar, mas é só saírem do local que a festa recomeça. Essa situação perdura desde 2020. À época, o dono da mansão, ao perceber a aproximação da PM, evadiu-se do local. Dois homens que estavam no local foram flagrados com maconha e ecstasy.

Quase vizinhas à mansão, existem duas casas de repouso. Questionadas pela reportagem, a Secretaria de Segurança Pública informou, por meio de nota, que a PM realmente foi acionada, mas que, ao chegar ao local, o evento foi encerrado “sem necessidade de intervenção policial”. Esse é o problema. Todas as vezes que a PM é acionada, a festa parece terminar. Só que não.

Já a Prefeitura, por meio da Subprefeitura Santana/Tucuruvi, informou que a tal mansão está em situação irregular, ou seja, não pode funcionar como “casa de eventos”. É necessário auto de licença. Disse que foi ao local e emitiu um termo de orientação para a regularização do estabelecimento com prazo de 30 dias. Após esse período, se não houver regularização, o proprietário será multado e o estabelecimento fechado.

No entanto, ontem (25/1) houve outra festa logo após os agentes de fiscalização terem ido embora. A PM foi chamada, mas nada aconteceu.

Vamos imaginar a seguinte situação: o dono da mansão paga as taxas necessárias na Subprefeitura e a mansão vira “casa de eventos” e, pelo andar da carruagem, as festas 24 horas e o vandalismo vão continuar e a PM não poderá fazer nada.


671ec733 e672 4a96 8b07 b365e880d0fd

Mais lidas

  • Semana

  • Mês

  • Todas